A Trans Serrano leva-o onde mais ninguém o leva!

logo Trans Serranologo Trans Serrano

Trans Serrano

Formação e Serviços na Natureza, Lda

Percursos pedestres guiados

ARGANIL

Piódão: terra do fim do mundo (Serra do Açor)Piódão_ 14_09_13 (40)

Piódão, terra das famosas quadrilhas como a de João Brandão e considerada “Aldeia Histórica” devido ao enquadramento da aldeia na paisagem, onde o xisto é o elemento predominante. Visita-se o modo como viviam os seus habitantes nos “tempos difíceis”, a natureza envolvente e um museu. O Piódão viveu isolado do mundo durante séculos… Ainda há poucos anos, o único acesso à “aldeia presépio” era um “caminho” de bois. Vamos passar por lá e conhecer as lendas e histórias mais encantadoras deste santuário da ruralidade portuguesa.

Tipo de percurso: circular. Início e final de percurso: aldeia de Piódão. Ponto de encontro: Piódão às 10h30m (junto ao posto de turismo). Extensão: 12km. Duração média: 5/6h. Época recomendada: Verão, Outono, Primavera (tempo seco) Declives: Moderados. Desnível: 210 metros (cota mínima: 470m; cota máxima: 680m). Preço: 12,5€/pax Dificuldade: Fácil/Média. CLASSIFICAÇÃO: **

Mais informação

Nas Encostas da Mata da Margaraça (Serra do Açor)

Percurso botânico e de interpretação da ocupação humana deste santuário natural. Inclui visita ao centro de interpretação da reserva, à casa da Eira, onde se encontra um museu sobre as actividades económicas tradicionais, visita ao forno de refugo (utilizado no processo de fabrico da cestaria tradicional) e ao moinho da Quinta. Na aldeia de Pardieiros, pode-se assistir à produção artesanal das colheres de pau. Ainda se irá visitar a Fraga da Pena (a mais emblemática queda de água da região). A Mata da Margaraça é considerada o último reduto da floresta nativa que cobriu toda a região da Beira Serra, formada maioritariamente por carvalhos e castanheiros, mas está também bem representada por vestígios da antiga floresta de Laurisilva que dominou o país antes do período glaciar.

Tipo de percurso: circular. Início e final de percurso: Pardieiros. Ponto de encontro: 10h/Pardieiros. Extensão: cerca de 8km. Duração média: 5h. Época recomendada: Verão, Outono, Primavera(tempo seco). Declives: Moderados. Desnível: 380 metros (cota mínima – 390m; cota máxima – 770m). Preço: 12,5€/pax. Dificuldade: Fácil/Média. CLASSIFICAÇÃO: *

Mais informação

CASTANHEIRA DE PÊRA

Nas Quelhas da Neve (Serra da Lousã)

Caminhada que se desenvolve ao longo de impetuosas ribeiras de montanha, onde se cruzam granitos e xistos que acidentaram a paisagem transformando-a num fraguedo quase inacessível, adornada de azinheiras e azevinhos que se penduram das rochas, ao abrigo das águas apressadas que formam impressionantes quedas de água na sua descida da Serra da Lousã. Neste passeio iremos ascender ao St. António da Neve (1193m), onde ainda se encontram os antigos neveiros reais. Os Carvalhos-alvarinhos e os Castanheiros também se destacam nesta região pela dimensão de alguns dos seus exemplares e pelos bosquetes que remanesceram de outros tempos. Com cerca de 10 Km e traçado circular, este percurso apresenta declives muito acentuados numa parte do trajecto. O grau de dificuldade varia, portanto, de baixo a elevado.

Tipo de percurso: circular. Início e final de percurso: Coentral (Castanheira de Pera). Ponto de encontro: 9h30 /aldeia de Coentral (junto ao café). Extensão: 10km. Duração média: 4/5h. Época recomendada: Verão, Outono, Primavera (tempo seco). Declives: Moderados/Acentuados. Desnível: 560 metros (cota mínima: 630m; cota máxima: 1190m). Preço: 10€/pax. Dificuldade: Média. CLASSIFICAÇÃO: **+

Mais informação

GÓIS

Os encantos do vale do Ceira

20140210_131527Passeio pedestre circular de 8 Km, onde se pode ver moinhos, lagares de azeite, conhecer a apicultura, observar a flora ribeirinha, conhecer a agricultura tradicional e todo o mundo rural, estar em contacto com a natureza, ao mesmo tempo que se pratica um desporto saudável. Este local coincide com a zona do Lagar da Ponte da Cabreira, um local paradisíaco nas margens do rio Ceira.

Tipo de percurso: Circular. Início e Final do percurso: Cabreira / Góis Ponto de encontro: 9h30 / Bombeiros Voluntários de Góis. Extensão: 8km. Duração média: 3h. Época recomendada: Outono/Primavera. Declives: Suaves. Preço: 10€/pax. Dificuldade: Fácil/Média. CLASSIFICAÇÃO: *

Mais informação

O trilho das Alminhas

20140210_161436Percurso linear de 20 Km onde se podem apreciar moinhos, lagares de azeite, conhecer a apicultura, observar a flora ribeirinha, conhecer a agricultura tradicional e todo o mundo rural, estar em contacto com a natureza, ao mesmo tempo que se pratica um desporto saudável. Início junto à aldeia da Candosa e final na vila de Góis.

Tipo de percurso: Linear. Início e Final do percurso: Candosa/Góis Ponto de encontro: 9h/ Bombeiros Voluntários de Góis. Extensão: 20km. Duração média: 8h. Época recomendada: Outono/Primavera. Declives: Moderados. Preço: 12,5€/pax. Dificuldade: Fácil/Média. CLASSIFICAÇÃO: **

Mais informação

Rota das Tradições do Xisto – Penedos de Góis – Serra da Lousã

Percorrendo as Aldeias do Xisto da Serra da Lousã no concelho de Góis Aigra Nova, Aigra Velha, Comareira e Pena, com a companhia dos imponentes Penedos de Góis. O percurso passa por um conjunto de aldeias vivas do concelho de Góis onde os participantes podem desfrutar de características e tradições únicas do território do xisto: alambique, eira, forno e moinho comunitários, hortas e culturas serranas, visita à uma exploração de cabras, soutos, cozinhas e caniços tradicionais, gateiras, pocilga do porco, produtor artesanal de mel da Serra da Lousã. Momento único será a visita à aldeia de Aigra Velha que ainda dispõe de um sistema defensivo apenas visto nas aldeias e vilas medievais mais antigas do nosso país e a visita aos fósseis marinhos existentes no Penedo de Góis. Com alguma probabilidade será possível avistar uma rapina ou uma manada de veados neste percurso.

Tipo de percurso: Circular. Início e Final do percurso: Aigra Nova. Ponto de encontro: 9h30/Aigra Nova, na Loja do Xisto. Extensão: 9km. Duração média: 4/5h. Época recomendada: Verão, Outono, Primavera (tempo seco). Declives: Moderados. Preço: 10€/pax. Dificuldade: Média. CLASSIFICAÇÃO: **

Mais informação

Ascensão aos Penedos de Góis

Os Penedos de Góis são uma serra escarpada, em plena Serra da Lousã, que formou desníveis únicos, com quedas de água e ribeiras impetuosas. Um local deslumbrante com miradouros sobre a paisagem beirã. Trata-se portanto de um caminhada de ascensão, por encostas inóspitas e de declives acentuados, ao ponto mais alto do concelho de Góis (1048m), pelo que se exige alguma resistência por parte dos participantes.

Tipo de percurso: Circular. Início e Final do percurso: Ribeira Cimeira Ponto de encontro: 9h30m/Bombas de gasolina do Esporão (Góis). Extensão: 7km. Duração média: 5h Época recomendada: Outono/Primavera. Declives: Moderados/Acentuados. Desnível: 528 metros (cota mínima – 520m; cota máxima – 1048m). Preço: 10€/pax. Dificuldade: Média/Elevada. CLASSIFICAÇÃO: **+

Mais informação

Ribeira do Mouro – o exlibris da Serra da Lousã

Trata-se de um percurso interpretativo com cerca de 5km onde se pode observar a biodiversidade existente na Ribeira do Mouro – o ex-libris natural do sítio da Rede Natura 2000 da Serra da Lousã. Quando se entra no vale da ribeira é impressionante a quantidade de exemplares de azereiro, espécie rara na Europa e que tem, neste local, uma das maiores populações do mundo. Para além do azereiro é importante a existência, pela sua raridade, de azevinhos – ambas espécies protegidas por lei. A caminhada tem início e final numa das Aldeias do Xisto do concelho de Góis, Aigra Nova, sendo portanto um percurso circular. Este programa inclui a visita ao novo Núcleo de Interpretação Ambiental e à Maternidade de Árvores

Tipo de percurso: circular. Início e final de percurso: Aigra Nova (Góis). Ponto de encontro: 10h/Loja da Aigra Nova. Extensão: 5km. Duração média: 3h. Época recomendada: Verão, Outono, Primavera (tempo seco). Declives: Moderados, alguns acentuados, principalmente no final do percurso. Preço: 10€/pax. Dificuldade: Média/Alta. O trilho tem zonas muito irregulares. CLASSIFICAÇÃO: **+

Mais informação

De pedra em pedra na ribeira da Pena (Penedos de Góis)

Percurso circular, que faz a parte final da ribeira da Pena. Esta ribeira percorre um vale encaixado e abrupto, cujo leito, margens e encostas são formados por impressionantes fragas que tornam este local quase inacessível. Por esta razão, este vale ainda serve de refugio a plantas e animais exclusivos e raros. O percurso é muito técnico e exige bastante destreza e resistência por parte dos participantes – no troço da ribeira não há caminhos, pelo que o percurso é feito de pedra em pedra, com algumas passagens bastante complicadas e não aconselhadas a pessoas que sofram de vertigens. No entanto, esta é a ribeira mais espectacular da Região Centro, onde se conjugam o cenário inóspito e selvagem (formado por inúmeras cascatas, lagoas e rochedos imponentes) com a vegetação exuberante e a vida selvagem peculiar, valendo a pena o esforço dispendido na realização desta actividade. Tem como ponto de partida e chegada a aldeia de Ribeira Cimeira e passagem pela aldeia da Pena.

Tipo de percurso: Circular. Início e Final do percurso: Ribeira Cimeira. Ponto de encontro: 9h30/ bombas de gasolina do Esporão (Góis). Extensão: 8km. Duração média: 6h. Época recomendada: Verão, Outono, Primavera, desde que o tempo esteja seco. Declives: Moderados/Acentuados. Preço: 10€/pax. Dificuldade: Elevada. CLASSIFICAÇÃO: ***

Mais informação

LOUSÃ

Rota das Aldeias do Xisto da Serra da Lousã

Percurso com cerca de 10 Km, circular, com declives acentuados e de médio grau de dificuldade. O piso é em certos locais irregular. É conveniente ter alguma resistência física. Inclui visita às aldeias serranas do Talasnal, Vaqueirinho, Chiqueiro e Casal Novo, com passagem por locais de rara beleza, como a levada de água, soutos centenários, Ermidas de Nª Sra. da Piedade, Central Hidroeléctrica da Ermida, etc.

Tipo de percurso: Circular. Início e final de percurso: Castelo da Lousã. Ponto de encontro: 10h /Castelo da Lousã. Extensão: 10km. Duração média: 6h. Época recomendada: Verão, Outono, Primavera, desde que o tempo esteja seco. Declives: Moderados/Acentuados. Desnível: 445m (cota mínima: 265m; máxima: 710m). Preço: 10€/pax. Dificuldade: Média. CLASSIFICAÇÃO: **+

Mais informação

MANTEIGAS/SEIA

No Tecto de Portugal, Serra da Estrela (23Km)

Uma caminhada moderada, indicada para os amantes do montanhismo, na mais emblemática serra de Portugal que é também a mais elevada. Esta zona montanhosa irá proporcionar-nos uma caminhada espectacular à medida que ascendemos ao ponto mais alto desta Serra, a Torre (1993m), pelo Planalto Superior. A envolvente e a própria natureza são fantásticas, marcadas pela paisagem granítica, pela vegetação rasteira e fauna típica de altitude. Tipo de percurso: Linear. Desnível: 1193m (cota mínima – 800m; cota máxima – 1993m). Dificuldade: Moderada/Elevada (sempre a subir). Épocas recomendadas: Primavera e Outono.

Tipo de percurso: Linear. Início e final do percurso: Manteigas (800m) /Torre (1993m). Ponto de encontro: 9h /Posto de Turismo de Manteigas. Extensão: 23 km. Duração média: 8h. Declives: Muito Acentuado. Épocas recomendadas: Primavera/Outono. Desnível: 1193m (cota mínima – 800m; cota máxima – 1993m). Preço: 15€/pax. Dificuldade: Difícil, com subida acentuada longa inicial de cerca de 2h30m de duração com piso muito variável. CLASSIFICAÇÃO: ***

Mais informação

Garganta de Loriga – Serra da Estrela

Caminhada de eleição na Serra da Estrela. Em zona montanhosa e inóspita, faremos a descida desta Serra, desde o ponto mais alto, a Torre, até à povoação de Loriga, ao longo do vale glaciar com o mesmo nome. A paisagem é marcada por uma paisagem irregular e rochosa, formada por lagoas, vales e covões glaciares.

Tipo de percurso: Linear Início e final do percurso: Torre/Loriga Ponto de encontro: 10h/Torre. Extensão: 12 km. Duração média: 6h. Épocas recomendadas: Primavera/Outono. Declives: Muito Acentuado. Desnível: 1163m (ao longo de 12km a descer) – (cota mínima – 830m; cota máxima – 1993m). Preço: 15€/pax. Dificuldade: Média/Elevada. CLASSIFICAÇÃO: **

Mais informação

OLIVEIRA DO HOSPITAL

Os Encantos do Vale do Alva

Passeio pedestre ao longo do vale do rio Alva entre S. Gião e Avô de interpretação da natureza, da história e património, com paragem para almoço em Penalva de Alva. Ao longo do percurso (15km) é possível visitar as termas romanas de S. Paulo, as centenárias rodas de rega em madeira, a única ponte da Europa com 3 entradas, o castelo de Avô, etc., para além de um maravilhoso património natural constituído por flora e fauna riquíssimas. O ponto de encontro será em S. Gião (Oliveira do Hospital).

Tipo de percurso: Linear. Início e final do percurso: S. Gião/Avô. Ponto de encontro: 9h30/Avô. Extensão: 15km. Duração média: 6h. Época recomendada: Outono/Primavera. Declives: Suaves. Preço: 10€/pax. Dificuldade: Fácil/Média. CLASSIFICAÇÃO: **

Mais informação

No Tempo da Pedra

Passeio arqueológico de 8 km com o tema da ocupação humana do planalto beirão através de gravações em rocha: sepulturas antropomórficas, antas, lagaretas, santuários rupestres, abrigos de pastores e Penedo dos Três Pézinhos, no concelho de Oliveira do Hospital.

Tipo de percurso: Linear. Início e final do percurso: Oliveira do Hospital Ponto de encontro: 10h/Centro de Saúde de Oliveira do Hospital. Extensão: 8km. Duração média: 3h. Época recomendada: Outono/Primavera. Declives: Suaves. Preço por pessoa: 10€/pax. Dificuldade: Baixa/Média. CLASSIFICAÇÃO: *

Mais informação

PAMPILHOSA DA SERRA

Trilhos do Alto Ceira (Serra do Açor)

Percurso de 7,5km emoldurado pelo vale do rio Ceira e pelas escarpas quartzíticas dos Penedos de Fajão. É espantosa a riqueza da vegetação que ainda subsiste nestas paragens, seja pelas vertentes inclinadas da serra seja ao longo das margens do Ceira. Nesta região, muito próximo do seu berço, o Ceira apresenta-se praticamente intocado e em estado selvagem. Percurso circular, com declives moderados e baixo grau de dificuldade.

Tipo de percurso: Circular. Início e final do percurso: Fajão Ponto de encontro: 9h30m. Bombeiros Voluntários de Góis ou 10h30m Fajão (Pampilhosa da Serra).Extensão: 7,5km. Duração média: 4h. Época recomendada: Outono/Primavera. Declives: Suaves/Moderados. Desnível: 280 metros (cota mínima – 450m; máxima – 730m). Preço: 10€/pax. (inclui visita ao Museu de Fajão). Dificuldade: Baixa. CLASSIFICAÇÃO: *

Mais informação

SOURE

Vale do Poio (Serra do Sicó – Anços)

Percurso de 10km, leva-nos ao longo do imponente Vale do Poio, vale cársico que foi, ao longo do tempo, esculpido pelo tempo e pela água e, actualmente, é uma formação impressionante cheia de formas e covas e paredes verticais. Devido ao seu isolamento é um local eleito para a fauna se abrigar e onde também podemos encontrar as raras orquídeas selvagens. Tipo de percurso: Circular. Desnível: 330m (cota mínima – 70m; cota máxima – 400m). Declives: Suaves/Moderados.

Tipo de percurso: Circular. Início e final de percurso: Vila de Anços. Ponto de encontro: 10h / Redinha (ponte medieval sobre o rio Anços). Extensão: 10km. Duração média: 5h. Época recomendada: Outono/Primavera. Declives: Suaves/Moderados. Desnível: 330m (cota mínima – 70m; cota máxima – 400m).Preço: 10€/pax. Dificuldade: Baixa CLASSIFICAÇÃO: *

Mais informação

TONDELA

Rota da Bosta (Serra do Caramulo)

Percurso pedestre de 17km na Serra do Caramulo em redor do ponto mais alto, o Caramulinho (1075m), passando por diversas aldeias típicas da Serra, tais como Malhapão de Cima e de Baixo, Jueus e Almofala, para além de uma paisagem deslumbrante caracterizada por terrenos de pastos para gado bovino e bosques típicos. Tipo de percurso: Circular. Desnível: 260 metros (cota mínima – 740m; cota máxima – 1000m). Declives: Suaves/Moderados.

Tipo de percurso: Circular. Início e final de percurso: Caramulinho Ponto de encontro: 10h/Museu do Caramulo. Extensão: 17,5km. Duração média: 8h. Época recomendada: Outono/Primavera. Declives: Suaves/Moderados. Desnível: 260 metros (cota mínima – 740m; máxima – 1000m). Preço: 12,5€/pax. Dificuldade: Média. CLASSIFICAÇÃO: **

Mais informação

Recomendações

Deve levar água e um almoço volante leve (à base de sandes e fruta). Recomenda-se vestuário e calçado adequado às condições climatéricas presentes em cada época do ano, nomeadamente: roupa leve, térmica e transpirável, um impermeável/corta-vento e botas de montanha confortáveis, chapéu para proteger do sol e calças que permitam a liberdade de movimentos.

Classificação da dificuldade

* Caminhada pouco extensa e com declives suaves.
** Caminhada mais longa e/ou com declives moderados.
*** Marcha de Montanha. Requer preparação e condição física. Caminhada longa com declives acentuados.
**** Marcha de Montanha com condições climatéricas difíceis (clima invernal) e/ou com passagens técnicas recorrendo a equipamento de escalada. Requer preparação física, técnica e equipamento.

Trans Serrano, Lda

| RNAAT_24 | RNAVT_3925 | Website Design: Alva Design. Powered by WordPress.